Ministério Público de Pernambuco
Ministério Público de Pernambuco
 

Destaques do MPPE

11/06/2018 - Com o objetivo de combater a violação de direitos de crianças e adolescentes, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio do Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Infância e Juventude (Caop Infância e Juventude) e a Escola Superior do Ministério Público de Pernambuco (ESMP), está apoiando a campanha “Quando a infância é perdida, não tem jogo ganho”, desenvolvida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Um vídeo, um spot de rádio, cartazes, leques, outdoor, busdoor, camisas e cards para as redes sociais são algumas das peças que começarão a ser veiculadas a partir de 12 de junho, em todo o Estado.


A campanha tem foco no combate à utilização de mão de obra infantil durante o período junino e  também na Copa do Mundo, procurando despertar uma maior conscientização da sociedade a fim de que se deixe achar normal que crianças e adolescentes tenham sua força de trabalho precocemente explorada. “Precisamos combater essa realidade de exploração de crianças e adolescentes para que as pessoas não achem normal o trabalho infantil, para que as famílias não incentivem o trabalho infantil e empresas não realizam a contratação de menores de idade. A gente só reforça o ciclo da pobreza quando incentivamos o trabalho infantil”, disse o coordenador do Caop Infância e Juventude, Guilherme Lapenda.


No Brasil, cerca de 2,7 milhões de crianças e adolescentes, na faixa etária de 5 a 17 anos, são explorados pelo trabalho precoce segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2015), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essas estatísticas também são uma amostragem e, portanto, não consideram as vítimas, por exemplo, do narcotráfico e nem de outras atividades ilícitas e insalubres. Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), órgão do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2015, foram registradas no País 187 mortes de crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos, e 518 casos de vítimas que tiveram a mão amputada, no trabalho.


“A campanha também tem como alvo uma maior conscientização da sociedade, de modo a que se possa contribuir para uma verdadeira mudança cultural. Qualquer pessoa pode ser nossa parceira. O engajamento é simples. Com um clique, já é possível fazer a diferença!”, disse a procuradora do MPT em Pernambuco, Jailda Pinto.


Jailda ressalta que, em grandes eventos, como São João, Copa do Mundo e Eleições, o trabalho infantil tende a aumentar, inclusive a exploração sexual comercial (esta considerada crime e uma das piores formas de trabalho infantil). “Este ano, teremos esses três eventos. A ideia é chamar todos para o combate, com ações nas redes sociais e, ainda, apoio de TVs e rádios”, informou.

 

Imagem acessível: retângulo preto com imagem de um bonequinho de jogo de pebolim chorando, vestindo as cores da seleção brasileira, tem ao lado os dizeres Quando a infância é perdida, não tem jogo ganho #chegadetrabalhoinfantil Abaixo as marcas do MPPE, MPT e Solidarium

Destaques Notícias


Veja todas as Notícias
Diário Oficial
Diário Oficial
Diário Oficial
Consulta de Licitações
publicidade consulta licitação
Consulta de Licitações
Consulta Processual
publicidade consulta processual
Consulta Processual
Publicidade Ouvidoria2
Publicidade Ouvidoria2
Publicidade Transparência SIC
Publicidade Transparência SIC
Portal SEI!
Portal SEI!
Ministério Público de Pernambuco
Ministério Público de Pernambuco