O sotaque pernambucano é massa. Faz parte da nossa cultura, mostra um jeito de falar que é só nosso. Aqui, se tá difícil é um nó cego, se tem pressa é avexado e preocupado é aperreado.

Como em Pernambuco, cada lugar do País marca sua identidade cultural com expressões e hábitos próprios. Assim é o Brasil, cheio de sotaques e diferenças. Mas há momentos em que unificar é preciso. Para o Ministério Público, esse momento é agora.

Taxonomia significa ordenação. É por meio da ordenação e padronização que os dados são interpretados e transmitidos de uma forma mais eficiente e célere. Buscando a adoção de terminologia única para a alimentação dos sistemas processuais judiciais ou extrajudiciais, o Conselho Nacional de Ministério Público tornou obrigatória, Resolução nº63/2010, a implantação das tabelas unificadas, até dezembro de 2011, para todo o MP brasileiro, que é composto pelos Ministérios Públicos Estaduais e os Ministérios Públicos Federal, Militar, do Trabalho e o do Distrito Federal.

As tabelas são compatíveis com as adotadas pelo Poder Judiciário, o que permitirá uma maior facilidade de informações trocadas pelas duas instituições.  Elas foram desenvolvidas pelos Conselhos Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG) e dos Corregedores-Gerais do Ministério Público (CNCG), com a participação de membros do Ministério Público de todo o Brasil.

Para mais informações sobre as tabelas unificadas, clique aqui

Instrução Normativa conjunta PGJ/CGMP nº 001/2011 –  O procurador-geral de Justiça do Estado de Pernambuco e a Corregedoria Geral do Ministério Público de Pernambuco emitiram a Instrução Normativa conjunta PGJ/CGMP nº 001/2011, que dispõe sobre a utilização do sistema de gerenciamento de autos Arquimedes, cria as Tabelas Unificadas do Ministério Público de Pernambuco, transforma o Comitê Gestor das Tabelas Unificadas em Grupo Gestor do Sistema de Gerenciamento de Autos Arquimedes e outras providências.